Já contei essa história em outros lugares, mas vai aqui uma versão um pouco mais moderna.

Eu a conto para tentar explicar o que é a Internet para quem ainda não a enxerga como um vasto conjunto de formas de se comunicar e interagir com pessoas.

Era uma vez Gronk e Gronka. Um feliz casal de humanos da época das cavernas. Eles não sabiam falar e, toda vez que Gronk queria demonstrar seu amor por Gronka tacava-lhe uma tacapada na cabeça. Eles eram muito felizes!

Um dia Gronk foi caçar em outra planície onde entrou em contato com uma outra tribo e voltou uma semana depois com uma novidade.

Gronk olhou para Gronka, abriu a boca e disse “Gronk ama!”

Gronka ficou desesperada! Aquela nova comunicação virtual era terrível! Gronk continuava dando-lhe tantas tacapadas quanto antes (certos hábitos culturais, felizmente ou infelizmente, são são difíceis de largar), mas ela ficava pensando que logo ele pararia com as tacapadas para ficar apenas conversando com ela.

Mas Gronka não reclamou… Ela só sabia gesticular e se recusava a falar.

Gronk e Gronka foram se afastando, ela só queria tacapadas e ele queria saber o que ela achava do belo por do sol ou onde mais ela gostava de receber tacapadas além da cabeça. Mas ela não falava.

Com o tempo não teve jeito. Gronka subiu as montanhas e conheceu lá o Gronkotudo que também não falava e dizem que hoje seus descendentes são os simplórios, mas felizes, Pés Grandes.

Quanto a Gronk, você sabe, ele acabou conhecendo Gronkolina que também falava e foram logo conversando sobre tudo, tendo as idéias mais loucas! Inventaram os livro para guardar o que falavam e, não tem muito tempo, criaram um jeito de todo mundo falar com todo mundo como nunca antes foi possivel! Um lugar onde gronkinhos e gronkolinasinhas podem compartilhar tudo que são capazes de pensar, fotografar e filmar com todos os outros gronkolinhos e gronkolinasinhas.

Assim como a fala mudou os rumos da nossa civilização a Internet altera a pirâmide da comunicação e a velha mídia onde poucos falavam para muitos se transforma em um trapézio onde muitos falam para muitos.

Não só isso… Do mesmo jeito que as pessoas que não sabiam falar tinham dificuldade em transmitir aos outros todas as nuances do que eram e pensavam tornando-se pessoas que não existiam completamente hoje as pessoas que não existem na Internet parecem incompletas pois estamos limitados ao que somos capazes de compartilhar conversando no velho estilo oral: um para um.

Ao conhecer também as versões Internet das pessoas descobrimos muito mais sobre suas idéias, sonhos, convicções, dúvidas, amores e desamores.

Há somente que se tomar cuidado para não revelar aqueles recônditos que devem ser preservados apenas para a troca de tacapadas ou para não esquecer do contato pessoal afinal, os olhos são a janela para a alma e uma troca de olhares diz coisas sobre nós que nem mesmo mil blogs podem dizer.

Pin It on Pinterest

Share This

Compartilhe!

Mande para suas redes sociais