Medida adotada pela MOGA quer colocar em debate o racismo da indústria da moda

Artigo: Marca anuncia que não irá mais trabalhar com modelos brancas – Emais – Estadão

Tenho criticado uma certa auto-segregação nos ativismos de defesa de grupos discriminados, mas vejo essa iniciativa como algo positivo.

Trata-se de representatividade, de equilibrar a balança.

Talvez restrinja a marca a clientes negras e negros, mas espero que não, desde que pessoas não negras reconheçam a beleza negra e até se identifiquem com ela. Bem, também espero que não negros respeitem a identidade cultural das pessoas negras, essencial nesse momento.