Apesar da referência a 1984 de George Orwell o vídeo lista os dez pilares do fascismo de acordo com o livro Como Funciona o Fascismo, de Jason Stanley.

Tem algo mais importante que essa lista, mas vamos a ela antes:

  1. Culto ao passado mítico
  2. Propaganda: inversão
  3. Anti-intelectualismo
  4. Hierarquia: as minorias devem se adaptar ou sumir
  5. Vitimização: são vítimas dos oprimidos como feministas ou negros
  6. Distanciamento da realidade, pós-verdade
  7. Lei e ordem: criminalizar as dissidências
  8. Tensão sexual: medo da sexualidade
  9. Sodoma e Gomorra: Os valores de um grupo são superiores aos de outro grupo, logo a perseguição dos inferiores é justificada
  10. Arbeit Macht Frei: os opositores são preguiçosos, fracos, criminosos

Sobre as características do fascismo também é recomendável, para as pessoas mais apressadas, o texto Ur-Fascismo no livro Cinco Escritos Morais, de Umberto Eco.

Mas vamos aos pontos que acho mais importantes do que a lista.

Reconhecer o discurso e propaganda fascista presentes em muitos governos eleitos nos últimos anos é o primeiro passo, mas se pararmos nele podemos cair no abismo do desespero que nos torna fatalistas. Vejo muita gente convencida de que EUA, Brasil e outros países que elegeram esse discurso se tornarão ditaduras. Por isso há outros pontos mais importantes que a lista.

Um deles está no final do vídeo mais abaixo: você se vê em um ou mais desses pilares? Quer mudar?

É difícil encarar essa realidade e é difícil aceitar que há quem se entregue ao discurso fascista sem ser (aliás, sobre isso, recomendo Medo à Liberdade, de Erich Fromm. Só achei em inglês) no entanto o fato é que nossa mente, em períodos de insegurança, é vulnerável a esse discurso e não há qualquer vergonha em cair nele.

Outro ponto muito importante é percebermos que precisamos ser mais mutáveis, por que isso é difícil e como desenvolver essa capacidade. Fiz vídeo sobre isso essa semana: Novos Mutantes e o medo da morte. Sem a consciência dessa necessidade e ferramentas para mudar não adianta muito reconhecer a sedução do discurso fascista.

Finalmente, não o último ponto, mas o último que colocarei nessa “breve” nota: O cenário social, político e cognitivo atual é substancialmente diferente dos outros quando o discurso fascista se levantou.

A sedução do mal é cíclica. Em algumas mitologias árabes os demônios eram testadores que nos cercavam quando estávamos fracos justamente para percebermos essas fraquezas.

A cada “rodada” de fascismo criamos novas estruturas meméticas para nos proteger desse mal e não será diferente agora.

Duvido de uma nova era de ditaduras no planeta.

Share This

Compartilhe!

Mande para suas redes sociais