Mário Brandão é dono de Lan House, moderador de uma das maiores comunidades de empresários do setor e participante ativo de várias iniciativas de reunião e melhorias do setor.

O que ele tinha a dizer não caberia nas duas horas que tínhamos disponíveis, mas foi bastante ilustrativo para mim.

De todos os fatos que ele nos trouxe o que mais me chamou a atenção é a falta de pesquisas e estatísticas desse setor que chega a ser responsável pela inclusão digital de mais de 70% da população em algumas regiões.

Finalmente tive uma pergunta antiga parcialmente respondida: o que as classes C, D e E fazem online.

Parcialmente justamente porque não há pesquisas formais a respeito, mas fiquei satisfeito com o insight do Mário Brandão afinal somente a comunidade que ele modera no Orkut conta com mais de 11 mil donos de Lan Houses.

Fiquei com a firme impressão que a média do cidadão pejorativamente apelidado de “povão” usa a Internet para se socializar, sim Orkut e MSN, mas note-se que ao estabelezer um relacionamento entre outros inclusive fora da sua área geográfica nosso povo reduz o relacionamento virtual que mantinha com a televisão.

Até a Internet se popularizar entre as classes menos privilegiadas a TV era o elo de ligação cultural e essa massa podia ser, digamos… manipulada.

A partir do momento que são estabelecidos espaços de interação externos à grande mídia esses estratos sociais passam a poder se organizar de forma autônoma. Não importa que seja para organizar festas de funk ou jogar futebol: eles operam sua própria rede de mídia.

A anos tenho ouvido dizer “Povão só quer acessar Orkut, Youtube e MSN” como se isso fosse uma tolice ou uma aplicação menos nobre do que… O que a chamada elite faz mesmo online? Ela colabora com a Wikipedia? Faz blogs sérios? Organiza ações sociais ou… acessa Orkut, Youtube e MSN?

Também ouço críticas ao fato (suposto) de que a maioria dos Internautas assiste online as mesmas coisas que assistiria na TV (as novelas são publicadas no Youtube e assistidas antes que o sistema as apague).

No entanto essa forma de consumo da mídia é totalmente diferente e não só pelo fato (inegável) do espectador decidir quando assistirá o programa, mas pela forma como ele faz isso inserindo comentários, “favoritando” fragmentos etc.

Dados Interessantes

  • Mesmo quando compra um computador o cidadão das classes C, D e E continua usando a Lan House por medo de se contaminar com virus e outras pragas que a garantia das máquinas Windows não cobre
  • As Lan Houses não usam Linux porque só existe um sistema de tarifação de Lan House para Linux e ele não é suficiente: desenvolvedores opensource papando mosca…
  • Metade dos crimes são investigados em Lan Houses, mas 78% são praticados em casa (dados da secretaria de segurança pública do Paraná). Aparentemente pela facilidade em eleger culpados e a dificuldade em obter mandados para entrar nas residências
  • Os jogos atualmente representam apenas 12% do faturamento de uma Lan House em média. Elas são mais usadas como ponto de acesso à Internet e bar
  • Também é comum serem usadas como ponto de presença para ensino e treinamento à distância por empresas como a Natura e universidades
  • É bastante comum serem usadas como acesso para compras online. O dono da Lan House paga a compra em seu cartão e recebe em dinheiro do cliente que não possui cartão
  • Apesar de acharmos que não são pontos de acesso seguros a grande maioria delas sabe se defender muito bem de virus, spywares worms e provavelmente são pontos de acesso melhores que a residência do amigo leigo
  • Uma das razões da penetração do Orkut e MSN no Brasil é o fato de serem duas das primeiras coisas que os donos de Lan House ensinam a seus clientes

Links

Pin It on Pinterest

Share This

Compartilhe!

Mande para suas redes sociais