Coisas que a globalização está fazendo: toda cidade tem lugares que poderiam estar em qualquer cidade do mundo.

Isso é bom ou ruim? É inevitável ou não?

Nossa história nos últimos dez mil anos pode ser vista como o enfrentamento e miscigenação de culturas se aniquilando ou se fundindo, mas estamos na iminência de desenvolver a capacidade de decidir nossos rumos. Vamos usar essa capacidade? Seremos sábios o bastante? Entre o cientificismo materialista (vide Ain Rand) e fundamentalismos religiosos precisamos de um tipo de meio termo.

O fato é que, por mais que a sensação de grandes mudanças seja a de fim do mundo, as possibilidades de extinção próxima da nossa espécie são pequenas (embora não remotas) porque com energia somos capazes de resolver isso e as soluções energéticas estão na esquina.

Também temos a impressão errada de que organismos (depois carbono ou de bits) se extinguem quando na verdade são absorvidos e podem ressurgir se o ambiente for favorável novamente.

Afloramentos de cultura global como esse em que estou agora estão cercados e embebidos em cultura local.

Sim, provavelmente é inevitável o surgimento de uma cultura global como nunca vimos.

Sim, isso trará diversas dificuldades para aqueles cuja cultura parecer estar sumindo (mas não estará como já disse).

No entanto precisamos redescobrir que somos uma única espécie com etnias muito menos diversificadas do que de praticamente qualquer outro animal (até cães que surgiram apenas nos 30 mil últimos anos são muito mais diversificados que nós).

É inevitável e está na hora de uma cultura global e o grande desafio estará nas regiões resistentes que é onde provavelmente mostraremos o que há de melhor e pior em nós.

Pin It on Pinterest

Share This

Compartilhe!

Mande para suas redes sociais