Depois de manter a educação superior pendurada numa forca pela maior parte do ano o governo ressurge (sim, ressurge, pois ele parece só existir fora do próprio círculo de interesses quando vai agir contra o país) para anunciar que teria liberado finalmente a verba para o ensino.

O vídeo abaixo mostra que, nem liberou de fato as verbas, nem ressurgiu para consertar o mal feito.

Ele ressurge para lançar o programa Future-se que, como procura demonstrar o vídeo do Meteoro Brasil, teria basicamente dois objetivos:

  1. Privatizar a universidade pública subordinando-a a OS, que são organizações privadas, que recebem recursos do governo para controlar investimentos públicos. De certa forma é uma privatização do próprio governo, e não é uma privatização… inteligente;
  2. Colocar a universidade pública a serviço de corporações ao fazê-la desenvolver produtos retirando das corporações o peso do desenvolvimento de tecnologias ficando apenas com o lucro da comercialização. Em outras palavras: as pesquisas comerciais acabariam bancadas pelo dinheiro que você e eu pagamos em impostos. Além disso potencialmente anularia a capacidade de pesquisa de ciência de base obrigando o país a pagar para usar o que é pesquisado em países com universidades e pesquisa pública de fato.
Share This

Compartilhe!

Mande para suas redes sociais