Tópico importantíssimo! Só vou colocar na sessão Gotas por falta de tempo para desenvolver comentários mais extensos.

Há anos procuro dizer que muitas condições neurológicas tratadas como deficiências trazem diversas excelências. Em geral comento que os autistas ainda serão importantes na exploração espacial.

Nesse vídeo, além disso, a Dra. MacEachron destaca a importância da neurodiversidade (termo que conheci agora) na manutenção da nossa diversidade genética.

Temos falado muito em erradicar “defeitos” neurológicos e físicos como surdez, nanismo e cegueira ignorando que os genes não são blocos auto-contidos. Eles interagem entre si para determinar diversas outras características.

As características que trouxemos até aqui foram preservadas no processo de seleção porque nos trazem vantagens diretas (nos garantem melhor memória por exemplo, conforme observado no vídeo) ou indiretas sendo parte de um conjunto de ligações genéticas que definem outras características com, supondo, força física ou flexibilidade.

Erradicar por engenharia genética ou seleção artificial essas características pode nos tornar uma espécie geneticamente mais vulnerável.

O raciocínio, aliás, também vale para a memética…