Pensei em colocar esse vídeo na sessão gotas, que é onde ficam notícias ou conteúdos com breves comentários meus, no entanto Solomon consegue comprimir em trinta minutos tanta informação e reflexões úteis para outras características da mente além da depressão que decidi transformar em um artigo maior que serve de base para outros.

Depressão é um desses segredos que a sociedade guarda. É quase impossível que você não sofra de depressão ou não tenha ninguém próximo que tenha que lidar com ela.

No entanto depressão é muito mais do que um estado mental que surge sem razão lógica (quando tem razão em geral se trata de tristeza). A depressão é uma condição mental com efeitos e/ou causas químicas que se combinam em um tipo de simbiose de tal forma que não conseguimos definir claramente se é algo que acontece por causa da nossa forma de ver o mundo ou se nossa forma de ver o mundo é moldada por ela depois de ser disparada por um fenômeno neuroquímico.

Para ficar mais claro: eventos traumáticos podem desencadear a depressão, mas esses eventos produziram repetidos gatilhos neuroquímicos que se tornaram crônicos ou mudaram nossa forma de ver o mundo e foi essa condição meramente psicológica que gera um gatilho neuroquímico crônico? A cura é psicológica, psiquiátrica ou sempre uma combinação das duas?

Para o nosso escopo aqui o que importa é que a depressão nos molda, ela altera nossa percepção da realidade e de nós mesmos.

E não é o único fenômeno mental que faz isso, talvez seja apenas o mais intenso, potente e cruel deles. E esse é o ponto que nos interessa memeticamente.

Uma parte essencial do nosso objetivo no Meme de Carbono (entender nossa mente individual e as mentes coletivas das tribos e da civilização) exige que saibamos que nossa visão, razão, intuição e todos os demais sentidos são irremediavelmente influenciados por instintos, viés cognitivo, pressões sociais (bem ligadas ao instinto) e também a fenômenos da mente que produzem gatilhos que mudam a própria mente.

Entre esses fenômenos, além da depressão, temos a esquizofrenia, a euforia, a experiência religiosa (que algumas vezes se confunde com as duas primeiras), o senso comum, instintos que nos fazem buscar os semelhantes rejeitando os que parecem diferentes e uma lista provavelmente interminável.

Assim como Solomon afirma no final do vídeo que a depressão pode nos obrigar a duvidar da verdade (porque para os que sofrem de depressão a verdade mente… veja o vídeo), temos que duvidar das nossas certezas todo o tempo.

E aproveite já que está pensando em depressão para refletir sobre como você está lidando com a sua ou como está sendo uma boa pessoa para quem está perto de você e sofre desse desafio terrível.

Pin It on Pinterest

Share This

Compartilhe!

Mande para suas redes sociais