Vídeo da PBS sobre o uso de rosa para meninos e de azul para meninas até o começo do século passado (ele não permite mesclagem em posts)

A expressão surgiu apenas nos últimos anos para construir um espantalho a fim de, olhe a ironia, defender a verdadeira ideologia de gênero.

Explico: o termo vem sendo usado para sugerir que há um tipo de ideologia cujo objetivo é impor a homossexualidade. Essa ideologia não existe e sim as descobertas que as expressões de gênero em parte são construídas pela cultura e que os estereótipos atribuídos a cada gênero são fluidos (e variam com a cultura).

De fato é o que a história nos mostra e está no vídeo abaixo.

Apenas no século XX definiu-se que rosa era cor de menina e azul de menino.

Antes disso em geral meninos e meninas usavam vestido até 5 ou 6 anos e eram brancos. Por um período usou-se frequentemente rosa para meninos (por ser uma cor forte) e azul para meninas (por ser uma cor frágil).

Isso sim são ideologias de gênero, ou seja, a construção de estereótipos artificiais que não respeitam as tendências e possibilidades de cada indivíduo privando meninos de serem sensíveis ou gostarem de coisas que a ideologia de gênero definiu como “de menina” e meninas de serem fortes ou gostarem do que foi definido como “de menino”.