“Não precisa ser feminista para defender os direitos das mulheres”
 
Está no primeiro minuto do vídeo de uma jovem mulher que vi agora.
 
Está em uma grande quantidade de vídeos “contra” o feminismo.
 
Infelizmente já devo ter visto mais de cem desses…
 
Ver vídeos bizarros está entre as coisas que fazemos com a desculpa do estudo antropológico, mas pode ser mais pela perplexidade mesmo.
 
Perplexidade diante das dificuldades cognitivas diante de certos assuntos.
 
Ora! Defender que as mulheres tenham direitos iguais É uma das definições básicas de feminismo.
 
O fenômeno não acontece apenas com feminismo, devia ter um nome específico para essa falácia. Algo como “aglutinação de conceitos”.
 
Outro exemplo:
“Falou mal das Olimpíadas e agora está curtindo as competições”
 
Pouquíssimas pessoas criticaram os esportes. As críticas eram para o super-faturamento, corrupção, violência da cidade etc.
 
Já que os esportes estão aí não há qualquer contradição em assistí-los e continuar sendo contra a realizações de grandes eventos esportivos do jeito que vem sendo feitos (com pouca participação e retorno da população para início de conversa).
 
A razão humana é como uma casca de noz flutuando em um mar de emoções e ela tem grande dificuldade para funcionar adequadamente quanto mais altas são as ondas dos sentimentos.
 
“E daí? Deixa as pessoas serem emotivas!”
 
Deixo, uai! Mas se você quiser ter opiniões que são ouvidas, quer mostrar que é capaz de aplicar a razão em seu trabalho (seja ele qual for) é melhor pensar bem em como medir emoções e razão…

Pin It on Pinterest

Share This

Compartilhe!

Mande para suas redes sociais