Imagem: artigo ao final. Fonte do artigo: Luca Toledo

Está na hora de estudar e falar seriamente sobre ciborgues, transhumanismo, biohacking e outros desenvolvimentos da cibercultura e do nosso desenvolvimento científico e tecnológico.

Nós já estendemos nossas capacidades e criamos novas há milênios com ferramentas como corações e membros artificiais, lanças e até exoesqueletos mais conhecidos como automóveis. Então por que agora está na hora? O que mudou?

Antes de mais nada mudou a minha ficha que caiu.

Em segundo, e mais importante, a nossa relação com essas extensões mudou. De “bengalas” elas estão passando a fazer parte da nossa construção de identidade, da nossa consciência individual e coletiva.

Os celulares mudam nossa forma de conexão com outras pessoas e com a sociedade, de boas e más formas, claro, obrigando-nos a desenvolver formas de ter algum controle sobre essas transformações.

A pressão dos estímulos de indústrias de alimentos, vídeo, literatura também nos impõe uma nova relação com a nossa alimentação física e memética.

Inteligências Artificiais que mapeiam as forças e vulnerabilidades coletivas e individuais para disputar o nosso tempo de atenção e moldar nossa visão de mundo e de consumo impõe outro desafio que considero cibernético, transhumanista e que pode ser abordado também através de biohacking.

Por fim, essas áreas estão em febril processo de desenvolvimento e consolidação, saindo da ficção científica e encontrando espaço no “mundo real.

Por tudo isso é hora de mergulhar no estudo desses instrumentos para assumirmos algum controle sobre nossos corpos e mentes.

Some of the technology we now use on a daily basis would seem unreasonably futuristic to someone living 20 years ago. IoT devices are becoming plentiful, with almost any electronic device or appliance now offering an internet connection and a host of onboard features, and the average person can access practically all the world’s information […]

Source: Are Cyborgs Already Here? An Intro to the Debate and Why It Matters – ReadWrite

Share This

Compartilhe!

Mande para suas redes sociais