Depois que o governo cortou 30% das verbas para a educação pública, o que foi entendido por muitos como um sequestro do ensino cujo preço do resgate seria a reforma da previdência, posição justificada por declarações do governo que, se houvesse a reforma os recursos seriam devolvidos , ocorreram vastos protestos em mais de 200 cidades em oposição a esses cortes.

Hoje, 30 de maio, ocorre uma segunda leva de protestos tanto para pressionar o governo quanto para reunir mobilização para uma greve geral em 14 de junho.

O post mais abaixo lista 10 motivos para o cidadão ou cidadã brasileira se unir a essas manifestações nas ruas ou online (abra o artigo para ver os detalhes):

  1. Reforma da Previdência é o fim do direito à aposentadoria de milhões de trabalhadores e trabalhadoras
  2. Quem já está aposentado também vai ter prejuízo
  3. Reforma ataca até viúvas e órfãos
  4. Reforma ataca também doentes e acidentados (incapacidade temporária)
  5. Reforma praticamente acaba com aposentadoria por invalidez (incapacidade permanente)
  6. Capitalização da Previdência
  7. Reforma quer acabar com pagamento da multa de 40% do FGTS
  8. Governo quer excluir do acesso ao PIS PASEP 18 milhões de trabalhadores
  9. Cadê a política para gerar emprego e renda do governo?
  10. Os cortes na educação prejudicam do ensino básico a pós-graduação

Vale acrescentar que os caminhos apontados pelas políticas do governo resultariam na transformação do Brasil em um tipo de saco de empregos de baixa qualificação e baratos e de transferência de capital do povo para grandes corporações.

Entendam as razões que devem levar estudantes e trabalhadores às ruas nesta quinta-feira e participar da greve geral marcada pelas centrais para 14 de junho

Source: O 30 de maio e a greve geral: por que educação e Previdência mobilizam – Rede Brasil Atual

Share This

Compartilhe!

Mande para suas redes sociais