Agora há pouco passei três agradáveis horas no Senac com uma turma de pós graduação em marketing online. Falamos sobre a morte da web aproveitando que o assunto ainda não tinha sido discutido.

Minha intenção era ir um pouco além dos comentários que fiz no post Web x o Tornado dos Aplicativos Móveis e defender a tese de que a a web morre para as empresas que nunca foram capazes de lucrar nela, mas ela continuará a ser um terreno fértil para pornografia (pesquisa da Ana Erthal), lojas e, principalmente, exercício da liberdade de expressão, democraria e interação humana.

Resumindo o que reuni na apresentação:

  • A web se tornou um espaço onde o conhecimento é livre e deve ser copiado não por isso ser da sua natureza técnica, mas sim por ser uma demanda humana pois há temos já não estamos satisfeitos em ser espectadores do mundo.
  • Essa demana começou antes mesmo dos tempos dos faraós e tem nos feito construir sociedades cada vez mais livres
  • Isso acontece pois somos impelidos por duas forças evolutivas; uma genética que nos faz preservar e reproduzir nossos genes; outra memética que nos leva a fazer o mesmo com nossas ideias e cultura
  • Lutar contra isso é inútil, visto que é um impulso desenvolvido ao longo de mais de 10 mil anos (memes). Assim como a democracia foi inevitável os princípios hacker que dominam a Internet acharão outros caminhos se a web “morrer”

Em suma, o que acredito é que a morte da web na verdade marca a vitória temporária (toda vitória nessa disputa é temporária) da liberdade x o controle e, com outros setores da Internet gerando bons lucros sua manutenção estará garantida.

A morte da_web

Durante o papo acabamos naturalmente enveredando por outras áreas como direitos autorais, a influência das emoções em nossas decisões e banco de tempo, aqui vão alguns links úteis:

Seguem alguns livros que acho interessantes para complementar as reflexões e não citei nos slides:

Sociedade do Espetáculo

Pouca gente indica esse texto e a linguagem dele é bem alucinada, mas considero essencial para entender o fim do século XX e o início do atual.

Os Meios de comunicação como extensões do homem – Mcluhan

O que a Google faria?

Free

Wikinomics

Freakonomics

Pin It on Pinterest

Share This

Compartilhe!

Mande para suas redes sociais