Imagem: Blog da Fitbit

Resolvi escrever esse post aproveitando um infográfico sobre a relação entre a frequência cardíaca em repouso e nossa saúde. Clique no link no final do post para ver o infográfico.

Há uma semana adquiri uma pulseira que mede a frequência cardíaca tanto durante exercícios quanto durante o dia e no período de sono.

Com preços abaixo de 150 dólares é um investimento ao alcance de um bom número de pessoas e sempre achei que vivemos uma rotina que torna esse tipo de acompanhamento muito útil.

O infográfico linkado no final traz algumas informações interessantes sobre a relação da frequência cardíaca com a saúde como;

  • Quanto melhor nosso condicionamento, menor é a nossa frequência cardíaca. Uma pessoa bem condicionada fica entre 60 e 70bpm;
  • Quem pratica ao menos meia hora de exercícios moderados a intensos costuma entrar nessa faixa;
  • Entre 60 e 90 minutos de exercícios diários o ganho em frequência cardíaca é pequeno;
  • Pessoas muito abaixo do peso (IMC abaixo de 18) ou obesas (IMC maior que 30) costumam estar acima dos 70bpm;

Mas gostaria de compartilhar a minha experiência de uma semana acompanhando a minha frequência cardíaca.

Antes de mais nada, estou entre a obesidade e obesidade mórbida, mas sou ativo, ando com frequência e vinha fazendo uma média de 13 minutos de exercícios em casa (com o peso do corpo e com minha própria experiência) a fim de manter algum condicionamento.

Além disso tenho uma alimentação ainda imperfeita, mas não consumo refrigerantes ou doces. Tenho procurado dar prioridade para proteínas e gordura com pouco carboidrato (porque mesmo evitando acabo meio que “obrigado” a consumí-los).

Foi interessante notar que a minha frequência cardíaca em repouso fica entre 63 e 64bpm, que é excelente correspondendo à de pessoas esportistas e no peso.

Um dos motivos de ter comprado um medidor de frequência cardíaca era confirmar que é possível ser saudável sem ser magro.

Claro que estar abaixo da faixa de obesidade me colocará em um estado ainda mais saudável. Não estou dizendo “seja uma pessoa gorda e saudável”. Estou dizendo “seja uma pessoa saudável”.

O ponto mais importante nisso, na minha opinião, é que quase sempre vejo as pessoas buscando sinais de resultados da boa alimentação e exercícios nos lugares errados: peso e medidas.

Tanto meu peso quanto minhas medidas são péssimos e progrediram pouquíssimo, aliás, ganhei dois quilos em menos de um mês fazendo os 13 minutos de exercícios quase todo dia. E meu diâmetro não teve alteração perceptível.

Vou destacar:

No caminho da saúde através da alimentação e exercícios temos resultados muito rápidos em nosso condicionamento e saúde cardíaca, mas muitas vezes desanimamos por não notar mudanças em nossa aparência. Não seja uma pessoa superficial preocupada demais com sua aparência.

Bom, hoje iniciei um programa de exercícios orientado por inteligência artificial usando um app da mesma empresa que fez o medidor de frequência.

Já havia experimentado outro (Freeletics), no entanto os exercícios eram muito perigosos e acabei até me machucando (coisa difícil de acontecer comigo).

Serão quatro sessões de meia hora por semana. Em três ou quatro voltarei aqui para fazer o que aconteceu.

Ah! Estou usando uma rotina de exercícios paga, 30 reais por mês, todavia o app tem várias opções gratuitas interessantes.

Source: Resting Heart Rate & Your Health – Fitbit Blog

Salvar

Pin It on Pinterest

Share This

Compartilhe!

Mande para suas redes sociais